A segunda ação judicial faz parte de uma série ultrajante de ações impetradas pelo mesmo promotor que anteriormente ajuizou ações criminais e civis igualmente absurdas. O valor de R$ 20 bilhões é arbitrário e especulativo e não está baseado em fatos.

Como nas ações civil e criminal anteriores, estamos confiantes de que uma análise transparente e imparcial dos fatos demonstrará que a Chevron e seus empregados responderam de forma responsável e apropriada ao incidente. A Chevron irá defender com vigor a reputação de seus colaboradores e da empresa.

É importante ressaltar que não há evidência de qualquer ligação entre os dois eventos. Eles estão três (3) quilometros distantes um do outro e o segundo afloramento aconteceu quando nenhuma operação de perfuração estava sendo realizada.

Quando o segundo incidente foi descoberto, a Chevron, como medida de precaução, suspendeu temporariamente a produção no Campo Frade para avaliar a situação. A Chevron e seus parceiros estáo conduzindo uma análise técnica abrangente da causa desse novo afloramento, além de realizar estudos complementares sobre a estrutura geológica do campo.

A Chevron tem colaborado de forma transparente e constante com todas as autoridades brasileiras.