A Chevron contribuiu para ampliar o conhecimento sobre o litoral brasileiro por meio do Projeto Talude, que investiga a área do oceano assim chamada, uma região de declive acentuado após a plataforma continental. O projeto é um dos investimentos da Chevron Brasil em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), parte dos compromissos regulatórios da empresa, que desde 2010 está investindo um total de R$ 49 milhões em 15 projetos em parceria com cursos de graduação, mestrado e doutorado em Engenharia, Geologia e Meio Ambiente de seis das maiores universidades do país.

O projeto teve como objetivo principal entender o ecossistema da plataforma continental externa e talude do Sul e Sudeste do Brasil, desde o fitoplâncton (base da cadeia alimentar), o zooplâncton, minúsculos animais aquáticos, peixes, até os cetáceos (golfinhos e baleias) e as aves marinhas.

Desde 2009, os pesquisadores navegaram do Chuí, fronteira com o Uruguai, ao Rio de Janeiro durante as estações de outono e primavera. Após dez cruzeiros oceanográficos a bordo do navio Atlântico Sul, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), o Talude finalizou a etapa de campo. Uma das grandes descobertas da expedição foi a presença em alta frequência da baleia cachalote, famosa pelo romance Moby Dick, de Herman Melville, no oceano Atlântico Sul. O cachalote foi a espécie mais frequente na região do estudo.

Outros animais frequentemente vistos foram o golfinho pintado do Atlântico, o golfinho comum, o golfinho rotador e a baleia minke. Em relação às aves, 30 espécies foram identificadas e as maiores concentrações também foram observadas no Sul do Brasil. A pesquisa ainda coletou informações sobre o ambiente marinho: temperatura, salinidade da água, batimetria (a medição do contorno, da dimensão e da posição relativa do fundo do mar) e abundância de peixes, lulas e do plâncton, os quais sustentam as cadeias alimentares.

O Talude é a único projeto de oceanografia ecossistêmica, que incluiu na pesquisa os cetáceos e aves no oceano Atlântico Sul. Além de contribuir para a pesquisa oceanográfica brasileira, esta iniciativa ajuda a Chevron a ter um melhor entendimento do ambiente marinho onde a empresa opera.